PNUMA e JBRJ celebram acordo de cooperação para divulgação de dados de biodiversidade
4/6/2014

O Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) celebraram, na segunda-feira, 2 de junho, acordo de cooperação técnica para a participação do JBRJ no SiBBr. Projeto conjunto do PNUMA e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o SiBBr é a plataforma online adotada pelo governo brasileiro para integração de dados, disponibilização de ferramentas de análise e visualização de informações sobre a biodiversidade.

Com o acordo, o conjunto de dados do Jardim Botânico do Rio e instituições parceiras no Brasil e no exterior se tornarão acessíveis pelo SiBBr. A parceria apoiará a continuação do programa Reflora (CNPq), viabilizando a incorporação de novos dados ao Herbário Virtual-Reflora. Além disso, o acordo garante recursos para a elaboração da Flora do Brasil Monografada até 2020, o que significará o cumprimento da Meta 1 da Estratégia Global para Conservação de Plantas (GSPC) da Convenção da Diversidade Biológica (CDB). Os dois projetos são coordenados pelo JBRJ.

O Herbário Virtual está repatriando cerca de 500 mil amostras digitalizadas de plantas brasileiras que se encontram nos herbários do Royal Botanic Gardens de Kew e do Museu Nacional de História Natural de Paris. Na cerimônia de assinatura, a coordenadora dos projetos, pesquisadora Rafaela Campostrini Forzza, explicou que a cooperação com o PNUMA permitirá o repatriamento das amostras pertencentes aos herbários dos jardins botânicos de Nova York e do Missouri e do Museu de História Natural de Viena, além de apoiar a digitalização de 670 mil amostras de herbários de outras instituições brasileiras. Tudo isso, somado às 600 mil amostras já digitalizadas do próprio JBRJ, resultará em mais 2 milhões de amostras que serão disponibilizadas pelo SiBBr, com acesso online para pesquisadores, visitantes, tomadores de decisão e público em geral.

O acordo define um investimento de US$ 1,03 milhão oriundos do Fundo Mundial para o meio Ambiente (GEF) nos próximos dois anos. Os recursos garantirão a compra de equipamentos, a contratação de bolsistas para todos os herbários parceiros da iniciativa e a realização das reuniões técnicas. Já o MCTI investirá US$ 316 mil para complementar o número de bolsistas necessários. A parceria totalizará aproximadamente US$ 1,35 milhão.

Para a representante do PNUMA no Brasil, Denise Hamú, o acordo com o JBRJ é fundamental para a consolidação do SiBBr neste segundo semestre. “O Jardim Botânico do Rio de Janeiro abriga os conjuntos de dados mais significativos sobre biodiversidade vegetal brasileira, e acumula experiência na gestão de informações digitalizadas sobre diversidade biológica há décadas. Concretizar essa parceria é um passo essencial”, afirmou.

A presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Samyra Crespo, disse que o acordo vem coroar os esforços do JBRJ e mostrar o quanto a instituição tem investido em sua missão. “"Receber o apoio oficial do PNUMA e esse aporte financeiro, que é o maior que o Programa já fez a uma instituição no País, é uma prova de confiança e reconhecimento da liderança que o Jardim Botânico vem tendo na pesquisa e nos instrumentos de disseminação do conhecimento sobre a biodiversidade brasileira", afirmou Samyra.

Participaram também da mesa a representante do MCTI, Andrea Ferreira Portela Nunes, responsável pelo projeto SiBBr, e o professor Lindolpho de Carvalho Dias, presidente do Conselho Deliberativo da Fundação Flora.

 

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página