Estacionamento do Jardim Botânico do Rio muda a partir de 21 de abril
11/4/2014

No dia 21 terá início a reorganização da oferta de vagas de estacionamento do JBRJ. Jockey oferecerá opção aos visitantes pelo valor cobrado no Jardim.

A superlotação do estacionamento do Jardim Botânico do Rio de Janeiro na Rua Jardim Botânico nº 1008 vem causando diversos problemas para o JBRJ e seus visitantes, como filas de veículos na entrada, engarrafamentos na via pública, insatisfação de motoristas e pedestres e sobrecarga para a segurança da instituição.

O Jardim Botânico já foi alertado pela Subprefeitura Regional da Zona Sul pelos transtornos causados ao trânsito local, principalmente nos fins de semana, e um primeiro acordo foi negociado com o objetivo de minimizar os problemas. Foram instaladas placas alertando sobre a infração de parar junto à calçada e posicionados agentes oficiais e monitores para orientar os motoristas. Porém, medidas mais efetivas e de longo alcance se mostraram necessárias para solucionar a questão.

A decisão de reorganizar as vagas de estacionamento foi tomada pela administração do JBRJ com o intuito de propiciar mais conforto e segurança aos visitantes, bem como de preservar o sítio histórico e ambiental. A iniciativa está sendo realizada em consonância com o compromisso assumido pela atual gestão de tornar o Jardim Botânico do Rio de Janeiro uma instituição efetivamente sustentável em termos socioambientais.

“ A área em torno do gramado do Lago das Tartarugas, Centro de Visitantes e Casa de Pacheco de Leão, por exemplo, possui importância histórica e é muito visitada. Mas sofre com a poluição visual, barulho e emissões de gases de combustão veicular, além da degradação física ocasionada pela presença e circulação de veículos”, explica o diretor de Ambiente e Tecnologia, Claudison Rodrigues.

O JBRJ recebe hoje quase 1 milhão de visitantes por ano. Pesquisa realizada em 2014 pela empresa OverView revela que 30% deles utilizam seus próprios carros para vir ao Jardim Os demais 70% utilizam outros meios de transporte. “Para os que preferem vir de carro, serão asseguradas boas condições de estacionamento, com segurança e maior número de vagas nas proximidades”, complementa Claudison.

A reorganização do estacionamento faz parte de um conjunto de projetos estratégicos e mudanças nas rotinas atuais do JBRJ, e tem também o objetivo de contribuir para a melhoria da mobilidade urbana no Rio de Janeiro.

Mudanças

O estacionamento da Rua Jardim Botânico nº 1008 será desativado gradativamente, por não atender à atual demanda de visitantes. De 21 de abril a 1º de junho, estarão disponíveis nele 40 vagas gratuitas, que serão ocupadas por ordem de chegada. Nos fins de semana, serão disponibilizadas mais 35 vagas gratuitas graças a um convênio com a Embrapa Solos, que fica ao lado.

Será permitida a entrada de carros para embarque e desembarque de pessoas com dificuldades de locomoção, mas não será permitido o estacionamento em torno do Gramado do Lago das Tartarugas e nas imediações do Centro de Visitantes e da Casa de Pacheco Leão.

Todos os dias, os visitantes terão também à sua disposição 230 vagas pagas no estacionamento das tribunas do Jockey pelo mesmo valor atualmente cobrado no Jardim, que é de R$ 7,00, desde que apresentem, no ato do pagamento, o ticket da bilheteria do Jardim Botânico.

A partir de 2 de junho, o Jockey Club oferecerá outras 170 vagas de seu estacionamento na Rua Jardim Botânico, 1003, que no momento está em obras e é mais próximo do Jardim. Serão, no total 400 vagas no Jockey. O estacionamento do Jardim Botânico com acesso pela Rua Jardim Botânico, 1008, por sua vez, será extinto. A área que ele ocupa será recuperada e ganhará tratamento paisagístico.

A administração do JBRJ está negociando com empresas e com a Prefeitura do Rio para que os serviços de transporte público, o sistema de sinalização, iluminação e o aparato de segurança do entorno atendam melhor aos visitantes.

Acesse aqui folder com mapa e orientações sobre alternativas de estacionamento e de transporte para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página